26 de setembro de 2008

Muito barulho por nada (nada mesmo)



Tecnologia nos faz pessoas melhores? Nem. A tecnologia nos ajuda a acordar no horário, tomar um café espumante, emulsificado e quentinho (feito na hora com uma misturinha em pó, tudo artificial mas idêntico ao natural), ajuda-nos a saber (pela fé) o tempo hoje para não errar no outfit, e ajuda-nos a trabalhar melhor (e mais), ajuda a tomar outro cafezinho esperto daquele no meio do dia, a saber das fofoquinhas do trabalho na moita pelo msn, a marcar o happy-hour por sms com os amigos e lá colocarmos mais fofoquinhas em dia, ajuda-nos a anotar o msn do gatinho na agenda do celular para depois descobrir de tudo o que ele gosta para não termos surpresas depois.

Sem falar que a tecnologia acabou de vez com aquele silêncio interior horroroso, acabou com o confronto íntimo, com a necessidade de diálogos internos, de matutar sobre a vida. Agora não precisa, temos aí os i-pods estalando alto nos ouvidos, a balada bombando em megas caixas de som, carros de som apregoando promessas a toda altura, praças de alimentação de acústica amplificada, cinemas com dolby stereo e surround-sound-sei-lá-mais-o-quê, rádios on-line e streamline, elevadores com dispositivos de mídia (ou seja, nem para subir um punhado de andares temos paz) e até, que maravilha a tvbus (nem paz para pegar um coletivo sobrou também).

Se eu me tornei uma pessoa melhor depois do i-pod e dos i-tudo-o-mais? Suspeito que não. Um pouco mais surda certamente sim - aos sons em derredor e aos sussurros da alma.

2 comentários:

Túlio disse...

Mariana, o excesso de tecnologia parece que tá te incomodando mesmo nesses dias hein! Sugiro uma pescaria!

Mari disse...

e olhe lá que não é uma má idéia! ;) obrigada por se preocupar!